Apreendedorismo: Dicas e Materiais sobre Empreendedorismo, Negócios e Marketing
marketplace-o-que-e-e-quais-sao-as-diferencas-para-uma-loja-virtual

Marketplace: o que é e quais são as diferenças para uma loja virtual?

Você já ouviu falar em marketplace? Trata-se de um modelo de negócio que ajuda as empresas a alavancarem suas vendas online. Ele surgiu da necessidade cada vez maior de pessoas e lojistas se conectarem, ampliando, assim, a capilaridade da rede virtual.

Na verdade, um marketplace nada mais é do que um lugar na internet em que os consumidores e empresas se encontram para realizar negócios. Contudo, ele não pode ser confundido com uma loja virtual, já que tem características próprias.

Quer entender melhor esse conceito? Neste post, você compreenderá o que é um marketplace, quais suas vantagens e como é seu funcionamento. Então, vamos à leitura!

O que é um marketplace?

Antes de qualquer coisa, o marketplace é uma proposta colaborativa. Ele adota um modelo de negócio baseado em uma plataforma na qual diferentes lojistas podem vender seus produtos. Ou seja, um conceito distinto da loja virtual.

Geralmente, os comerciantes interessados em vender em um determinado marketplace se cadastram e incluem seus produtos na plataforma. Em troca da estrutura e divulgação, pagam uma taxa para a empresa que gerencia o negócio virtual.

Por negociação realizada, o comerciante costuma pagar uma comissão que vai de 9,5% a 30% do valor da venda. Essa variação acontece porque o marketplace oferece diferentes níveis de divulgação.

Além disso, como é o lojista quem entrega o produto, a plataforma precisa se certificar de que isso realmente aconteceu. Sendo assim, o prazo para liberação dos valores recebidos em vendas pode chegar a 45 dias contados a partir da postagem ou entrega do pedido.

Em geral, as empresas que gerenciam marketplaces são bem rigorosas com suas normas, políticas e termos, já que é sua reputação que está em jogo.

Qual a diferença entre marketplace e loja virtual?

Os marketplaces e lojas virtuais se diferenciam em diversos aspectos, tais como formato da receita, gerenciamento de estoque, variedade de produtos, curadoria de novas lojas etc..

A descentralização do estoque certamente é um dos grandes diferenciais. Ela possibilita uma ampla variedade de produtos. A chamada cauda longa permite ao canal de vendas apresentar um pool de mercadorias cada vez mais segmentado e destinado a um perfil específico de consumidor.

Vale lembrar também que a loja virtual depende do fluxo de caixa para financiar seu crescimento — aumentar estoque, manter uma infraestrutura de logística, contratar equipe etc.. Já o marketplace tem escalabilidade, ou seja, trata-se de um modelo de negócio que pode crescer em número de clientes e faturamento sem que, para isso, precise aumentar seus custos mensais.

Além disso, o lojista pode se associar a mais de um marketplace. Com isso, ele atinge mais pessoas ou, ainda, os mesmos usuários em plataformas distintas. Ao ter contato repetido com a marca em marketplaces diferentes, criam-se mais oportunidades para a decisão de compra. Já, no caso da loja virtual, os produtos ficam limitados ao público daquele site.

Quais as vantagens do marketplace?

Como vimos, o marketplace se difere bastante da loja virtual e apresenta algumas vantagens em relação a ela. Veja só:

Maior retenção

No marketplace, os clientes costumam permanecer por mais tempo e, inclusive, voltam com frequência, dada a diversidade e grande oferta de produtos. Além disso, muitos consumidores preferem esse modelo pela praticidade de poder realizar várias compras no mesmo site e em um único pagamento.

Fidelização do cliente

Como já foi explicado, o marketplace preza muito pela sua credibilidade junto aos clientes. Ademais, ele tem instrumentos para agregar valor à experiência do usuário com a marca, sendo eficiente também para fidelizar clientes.

Menos custos com marketing e TI para o lojista

O lojista não precisa se preocupar com ações de marketing ou gastos para desenvolvimento do site e hospedagem. A empresa responsável pelo marketplace cuida disso.

Manutenção

O processo de cadastrar produtos pode ser feito por poucas pessoas. Dessa forma, a equipe fica mais focada em analisar o mercado, definir estratégias e preços, além de trabalhar na escolha ou desenvolvimento de novos produtos para o portfólio.

Quais são as desvantagens do marketplace?

A empresa que gerencia um marketplace deve tomar alguns cuidados. Isso porque a plataforma também apresenta certas demandas específicas. Confira:

Altos custos com estrutura

Para atender a tantas empresas e usuários, é preciso manter uma ótima estrutura web. Isso significa gastos para que o site não caia, por exemplo, na Black Friday!

Toda essa infraestrutura somada à ações de marketing e outros recursos dos marketplaces são de alguma forma, repassados para os lojistas através de taxas sobre as vendas etc..

Investimentos com segurança

A segurança hoje é uma questão crucial para todos que estão no ambiente virtual — e não é diferente com os marketplaces. A plataforma precisa oferecer a melhor segurança possível para os consumidores para manter a boa relação com o cliente e fidelizá-lo.

Falta de controle sobre a experiência do usuário

Apesar de todos os cuidados que o marketplace toma para que o consumidor seja bem atendido pelo lojista, algumas coisas fogem do seu controle. Porém, é preciso conseguir resolver os problemas para que a plataforma mantenha sua credibilidade.

Quais são as melhores práticas associadas à atuação em um marketplace?

É fundamental aprender sobre o funcionamento do marketplace escolhido. E isso não se resume ao passo a passo do cadastro dos itens. Fique atento a todos os detalhes, tais como:

  • descrição do produto e foto de qualidade a fim de que chamem a atenção do usuário;
  • consistência na qualidade do produto, atendimento e entrega;
  • gestão unificada no caso do lojista que opta por vários canais de venda, com procedimentos e parâmetros idênticos, inclusive para quem tem loja física;
  • possibilidade de atender à grande demanda que um marketplace gera. Nunca se esqueça de que um atendimento desorganizado ou lento pode resultar em uma avaliação negativa pública, que tem um grande alcance;
  • atenção aos preços praticados pela concorrência dentro do marketplace;
  • garantia de uma estrutura logística capaz de manter frete a custo baixo ou mesmo gratuito. Esse é um fator importante na decisão de compra.

Enfim, o marketplace é uma plataforma que possibilita o encontro do lojista com o consumidor, apresentando uma série de vantagens para ambos. Apesar disso, alguns cuidados precisam ser tomados para que a experiência do cliente seja sempre positiva.

Gostou das dicas? Então, assine nossa newsletter e fique por dentro de tudo o que você precisa saber para fazer sua empresa crescer.

Quer ficar por dentro de todas as novidades? Cadastre-se e receba nossos conteúdos